Vitamina D para bebê: qual a dose ideal?

vitamina-d-para-bebe

Ter um bebê é uma experiência mágica. No entanto, cuidar de uma criança da melhor forma possível requer um certo “treinamento”. Um dos cuidados é sobre a influência da nutrição para o desenvolvimento do pequeno. Dosar os nutrientes, como a vitamina D para o bebê, é um dos desafios de boa parte dos pais.

A vitamina D é essencial para o desenvolvimento das crianças. Sem a quantidade ideal, os ossos podem ser prejudicados. Infelizmente, nem sempre o aleitamento materno é suficiente para evitar a carência deste nutriente. Por isso, pode ser preciso recorrer à suplementação. Para saber mais sobre este assunto, siga com a gente neste artigo.

Pontos-chave

  • Graças a vitamina D, os bebês podem crescer adequadamente e desenvolver ossos fortes.
  • A falta de vitamina D nos bebês pode provocar raquitismo, uma alteração muito grave no crescimento dos ossos, que provoca dor e deformações.
  • Se julgar necessário, o pediatra pode receitar um suplemento especial de vitamina D para bebê. Normalmente, o uso é suspenso assim que a criança começa a consumir outros alimentos.

A vitamina D e os bebês: O que você precisa saber?

Muito se fala sobre a importância da vitamina D para os ossos. Mas, poucos sabem que este nutriente é importante para os bebês desde o seu nascimento. Assim, se deseja que o seu filho tenha ossos fortes, é fundamental saber mais sobre a ação deste nutriente, como mostraremos nesta seção.

Graças à vitamina D, os bebês têm o crescimento adequado, com ossos fortes. (Fonte: Emslie: aZW0bSblQ7c/ Unsplash.com)

Por que os bebês necessitam de vitamina D?

Os pequenos dependem da vitamina D para apoiar o crescimento saudável. Este nutriente essencial ajuda na absorção do cálcio dos alimentos e na incorporação deste elemento aos ossos.

Com isso, se consegue um esqueleto resistente a quedas e com o desenvolvimento adequado os primeiros anos de vida (1).

Além disso, há indícios de que a vitamina D também é importante para preservar a saúde do cérebro, do coração e do sistema imune dos bebês. Os estudos a este respeito estão avançados!

Qual a dose ideal de vitamina D para o bebê?

Estudos de agências especializadas em segurança alimentar e nutrição afirmar que as crianças menores de 1 ano necessitam de 10 microgramas (ou 400 Unidades Internacionais) de vitamina D por dia (2).

Esta dose de vitamina D deveria ser mantida até os 14 anos. A partir deste idade, o adolescente necessita de um aporte maior do nutriente, com dose recomendada de 12,5 microgramas ou 500 UIs.

No entanto, é bom lembrar que estes guias estabelecem uma referência média de dosagem. Em alguns casos, como em enfermidades específicas, as necessidades do bebê pode ser diferente.

Por esta razão, a orientação médica é indispensável. Ao avaliar o quadro da criança, o pediatra poderá definir a dose diária mais adequada.  

vitamina-d-para-bebe
A falta de vitamina D nos bebês pode levar ao raquitismo, uma alteração muito grave que provoca dor e deformações nos ossos. (Fonte: Habeshaw: mwgdAvEgvS0/ Unsplash.com)

O que ocorre quando falta vitamina D para o bebê?

No início da vida, os ossos crescem “a todo vapor”. Se o corpo do bebê não recebe a quantidade ideal de vitamina D para apoiar esse desenvolvimento, podem ocorrer problemas graves.

A falta de vitamina D não deixará que o cálcio e outros minerais, como o fósforo, reforcem os ossos. Em consequência, o esqueleto do seu pequeno poderá ficar mais frágil.

O resultado? Ossos com tendência à fraturas, com deformidades que podem afetar de forma irreparável o crescimento do bebê. Esta condição é conhecida como raquitismo (3, 4).

O verdadeiro perigo desta carência está no fato de que ela é silenciosa. Em muitos casos, a falta de vitamina D no bebê pode passar despercebida por semanas ou meses… Ela não produz sintomas até que já seja tarde demais!

É por isso que reforçamos a necessidade de levar o bebê a todas as consultas de rotina estabelecidas pelo pediatra. Além disso, é preciso seguir as orientações deste especialista sobre a suplementação, quando necessária, para evitar essa carência tão perigosa.

A vitamina D para bebê: Fontes naturais e suplementos

É muito importante dar ao bebê toda a vitamina D que ele necessita desde os primeiros dias de vida. O seu pequeno dependerá deste nutriente para crescer saudável. Por esta razão, vamos falar, com detalhes, sobre as principais fontes de vitamina D para o bebê. Veja o que preparamos!

Os bebês alimentados exclusivamente pelo aleitamento materno podem não receber toda a vitamina D necessária para o crescimento saudável. (Fonte: Tablas: oB0xbLwcaMw/ Unsplash.com)

O sol, a vitamina D e o bebê

Alguns especialistas apelidaram a vitamina D de “vitamina do Sol”. Isso porque este nutriente tem uma característica muito especial. Ele pode ser produzido pelo organismo quando há exposição solar. Não parece incrível?

Os bebês, assim como os adultos, também contam com este “super poder” e podem sintetizar a vitamina D durante o banho de sol. Mas infelizmente a pele dos pequenos é muito delicada e pode queimar-se com facilidade.

Essa prática, portanto, pode causar lesões e provocar outros problemas ao seu filho, como o aumento no risco de desenvolver câncer de pele no futuro (5).

Por este motivo, não é recomendado contar com o sol como fonte de vitamina D para os pequenos. Ainda assim, caso deseje proporcionar um “banho de sol” ao bebê, é fundamental seguir estes conselhos (6):

  • Bebês com menos de seis meses têm a pele muito delicada. O protetor solar pode causar irritações e não deve ser utilizado. Por isso, o sol direto não é recomendado nessa fase. Se sair para passear com o bebê, lembre-se de proteger o corpo e a cabeça com barreiras físicas, ou seja, com roupa e chapéu;
  • A crianças maiores de seis meses podem ficar expostas ao sol nas horas seguras do dia (antes das 10 e depois das 16 horas). Nestes casos, é recomendado usar protetor solar e monitorar o tempo de exposição.

Lembre-se que as crianças não podem usar qualquer protetor solar comercial. Antes dos 3 anos, é imprescindível adotar produtos de composição natural, sem filtros químicos como a oxibenzona, por exemplo.

A melhor opção ainda é a barreira física, como as roupas com proteção solar. Em último caso, produtos com dióxido de titânio são os menos irritantes para a pele infantil (7).

A alimentação dos pequenos

Os bebês alimentados exclusivamente com o leite materno ou artificial podem não receber toda a vitamina D necessária para o desenvolvimento saudável.

Mas não precisa se preocupar! A maioria dos pediatras, conscientes disto, já costumam prescrever complementos nutricionais para evitar qualquer carência neste sentido (8).

A partir de um ano de idade, aproximadamente, a criança começa a comer carne,ovos, peixes e leite. Estes alimentos ajudam a suprir as necessidades diárias da vitamina. Além disso, você pode inserir cereais e leites enriquecidos com vitamina D3 para o seus bebê. Os pequenos ossos agradecem!

vitamina d para bebe
Lembre-se que o suplemento de vitamina D3 para bebê é diferente dos vendidos livremente em mercados e farmácias. (Fonte: Borba: CgWTqYxHEkg/ Unsplash.com)

O pediatra e os suplementos para bebês

É um paradoxo! A vitamina D é essencial para o bebê, mas apenas o leite materno não é suficiente para supri-la. Ao mesmo tempo, não se pode expor o pequeno ao sol para estimular a produção do nutriente. O que fazer, então?

Atualmente, os pediatras sabem que a melhor opção para manter os níveis adequados de vitamina D3 em bebês é por meio da suplementação. A recomendação (8) para os menores de um ano é de 400 UI (Unidades Internacionais) de vitamina D. O pediatra costuma receitar a forma em gotas do suplemento para facilitar a administração pela via oral.

A suplementação com vitamina D deve durar até que o pequeno possa se alimentar normalmente, depois de um ano de idade. Essa decisão deve ser tomada em conjunto com o pediatra que acompanha seu filho, que deve avaliar se a dieta será capaz de fornecer a vitamina D necessária (5).

vitamina d para bebe
Este nutriente essencial ajuda a absorver o cálcio dos alimentos e incorporá-lo aos ossos. (Fonte: Sikkema: 8IUZi-pUph8/ Unsplash.com)

O suplemento de vitamina D Sundt é seguro para o bebê?

Na Sundt Nutrition são produzidos suplementos de alta tecnologia, adotando os mais rigorosos padrões de qualidade para a otimização da absorção e eficácia. No entanto, estes produtos são formulados com base nas necessidades de pessoas adultas saudáveis.

Isso significa que os suplementos da Sundt não devem ser utilizados em bebês, nem em menores de 18 anos (5). O uso indiscriminado pode levar a intoxicação do bebê.

Para evitar este risco, não use suplementos de venda livre. A orientação é contar com a ajuda profissional e seguir as recomendações do pediatra para a compra do produto mais indicado para cada situação (5). A segurança do seu bebê vem antes de tudo!

Nossa conclusão

A quantidade ideal de vitamina D para o bebê é fundamental no desenvolvimento infantil. Graças a esta molécula, os ossos crescem fortes e saudáveis. Sem este nutriente, seu filho pode sofrer com problemas graves de crescimento e com tendência a sofrer fraturas. Um pesadelo, não é?

Por esta razão, trouxemos um material completo sobre a importância da vitamina D para bebês e como deve ser feita a suplementação segura já no início da vida. Lembre-se que a supervisão médica é o primeiro passo para um tratamento eficaz. Com estes conselhos, seu bebê vai se desenvolver com ossos fortes e muita saúde!

Gostou deste artigo sobre a importância da vitamina D para o bebê? Então, continue acompanhando as novidades em nosso site. Aproveite para nos deixar um comentário com a sua opinião!

(Fonte da imagem em destaque: Jenean Newcomb: PokamaS5yAU / Unsplash.com)

References (8)

1. Senan Sanz MR, Gilaberte Calzada Y, Olona Tabueña N, Magallón Botaya R. Conocimientos acerca de la vitamina D y hábitos de prevención de su déficit en las consultas de atención primaria. Semer – Med Fam . 2014 Jan 1 ;40(1):18–26.
Source

2. calleja CA, Cámara M, Daschner Á, Fernández P, Franco CM, Giner R, et al. Informe del Comité Científico de la Agencia Española de Seguridad Alimentaria y Nutrición (AESAN) sobre Ingestas Nutricionales de Referencia para la población española. In Cambridge: Cambridge University Press; 2019. p. 1–30.
Source

3. de la Calle Cabrera T. Raquitismo carencial. Raquitismos resistentes. Pediatr Integr . 2015 ;19(7):477–87.
Source

4. Riancho JA. Osteomalacia y raquitismo. Rev Esp Enfermedades Metab Oseas . 2004 ;13(4):77–9.
Source

5. Martínez Suárez V, Moreno Villares JM, Dalmau Serra J. Recomendaciones de ingesta de calcio y vitamina D: posicionamiento del Comité de Nutrición de la Asociación Española de Pediatría. An Pediatr . 2012 Jul 1 ;77(1):57.e1-57.e8.
Source

6. Sol y seguridad (para pais) – Nemours KidsHealth.
Source

7. Latha MS, Martis J, Shobha V, Shinde RS, Bangera S, Krishnankutty B, et al. Sunscreening agents: A review . Vol. 6, Journal of Clinical and Aesthetic Dermatology. Matrix Medical Communications; 2013 [citado em agosto de 2020]. p. 16–26.
Source

8. Manzano S. Recomendaciones de uso de vitamina D en Pediatría. 2019; (Março/2019):5.
Source

Artigo científico
Senan Sanz MR, Gilaberte Calzada Y, Olona Tabueña N, Magallón Botaya R. Conocimientos acerca de la vitamina D y hábitos de prevención de su déficit en las consultas de atención primaria. Semer – Med Fam . 2014 Jan 1 ;40(1):18–26.
Go to source
Documento oficial
calleja CA, Cámara M, Daschner Á, Fernández P, Franco CM, Giner R, et al. Informe del Comité Científico de la Agencia Española de Seguridad Alimentaria y Nutrición (AESAN) sobre Ingestas Nutricionales de Referencia para la población española. In Cambridge: Cambridge University Press; 2019. p. 1–30.
Go to source
Artigo científico
de la Calle Cabrera T. Raquitismo carencial. Raquitismos resistentes. Pediatr Integr . 2015 ;19(7):477–87.
Go to source
Artigo científico
Riancho JA. Osteomalacia y raquitismo. Rev Esp Enfermedades Metab Oseas . 2004 ;13(4):77–9.
Go to source
Documento oficial
Martínez Suárez V, Moreno Villares JM, Dalmau Serra J. Recomendaciones de ingesta de calcio y vitamina D: posicionamiento del Comité de Nutrición de la Asociación Española de Pediatría. An Pediatr . 2012 Jul 1 ;77(1):57.e1-57.e8.
Go to source
Site oficial
Sol y seguridad (para pais) – Nemours KidsHealth.
Go to source
Artigo científico
Latha MS, Martis J, Shobha V, Shinde RS, Bangera S, Krishnankutty B, et al. Sunscreening agents: A review . Vol. 6, Journal of Clinical and Aesthetic Dermatology. Matrix Medical Communications; 2013 [citado em agosto de 2020]. p. 16–26.
Go to source
Documento oficial
Manzano S. Recomendaciones de uso de vitamina D en Pediatría. 2019; (Março/2019):5.
Go to source