A síndrome do intestino irritável tem cura? Explorando as ferramentas terapêuticas

Se você sofre de cólicas, inchaço abdominal, diarreia, constipação e/ou flatulência de forma frequente, é provável que você tenha a síndrome do intestino irritável, um transtorno que afeta cerca de 15% da população adulta brasileira, prejudicando sua qualidade de vida. 

Atualmente, foram desenvolvidas muitas estratégias para aliviar os sintomas da síndrome do intestino irritável. Estas podem variar desde uma mudança na alimentação, o uso de suplementos e probióticos até um controle no estresse diário. Você quer saber quais são estes métodos? Continue lendo para conferir.

Pontos-chave

  • A síndrome do intestino irritável ou cólon irritável, é um transtorno muito comum, que é associado à dor abdominal, mudanças nas evacuações, inchaço abdominal e desconforto.
  • Existem muitas doenças relacionadas com o cólon irritável, como infecções intestinais e o estresse. No entanto, sua causa ainda não é clara.
  • O tratamento do cólon irritável geralmente inclui estratégias para controlar o estresse, mudanças na alimentação, medicamentos para aliviar os sintomas e o uso de probióticos. Estas estratégias, junto com as dicas do seu médico e nutricionista, podem ajudar a diminuir ao máximo os sintomas desagradáveis.

Tudo que você precisa saber sobre a síndrome do intestino irritável

Apesar de que a síndrome do intestino irritável não seja uma ameaça para a vida, é um transtorno muito desagradável, fazendo com que sua relação com o banheiro seja um verdadeiro pesadelo. Abaixo, vamos responder as perguntas mais frequentes sobre esta doença e vamos falar sobre o que você pode fazer para viver com a menor quantidade de sintomas.

síndrome do intestino irritável tem cura
Beba água suficiente, para evitar a desidratação durante episódios de diarreia e para aliviar a constipação. (Fonte: Lightfieldstudios: 134003917/ 123rf.com)

O que é a síndrome do intestino irritável?

A síndrome do intestino irritável, também chamada de cólon irritável, é um transtorno capaz de gerar uma série de sintomas abdominais e mudanças na frequência e consistência das evacuações (1).

Esta doença pode ocorrer durante muitos anos, por isso é conhecido como um transtorno crônico que afeta cerca de 15% da população brasileira, sendo mais frequente e grave nas mulheres (2, 3)

Quais são os sintomas da síndrome do intestino irritável?

O conjunto de sintomas da síndrome do intestino irritável podem afetar tanto o sistema digestivo como o resto do corpo, os mais comuns vamos mencionar abaixo (4, 5, 6, 7)

  • Dor abdominal de intensidade baixa ou moderada;
  • Inchaço abdominal que aumenta ao longo do dia;
  • Sensação de que você não evacuou de forma completa;
  • Fezes com muco;
  • Diarreia e/ou constipação;
  • Sensação de saciedade com poucos alimentos; 
  • Náuseas e vômitos;
  • Sensação de ardência na garganta (azia);
  • Aumento da frequência e urgência para urinar;
  • Dores na coluna;
  • Sabor desagradável na boca;
  • Sensação constante de cansaço;
  • Dor durante as relações sexuais (nas mulheres);
  • Pioria na dor menstrual.
síndrome do intestino irritável tem cura
Ao eliminar alguns produtos da sua dieta, você poderá sofrer menos surtos da síndrome do intestino irritável. (Fonte: Guillem: 69027622/ 123rf.com)

O que é a causa da síndrome do intestino irritável?

Em muitos casos, é desconhecida a causa exata da síndrome do intestino irritável, mas existem algumas condições e situações que são associadas ao seu surgimento:

Problemas que afetam o aparelho digestivo

  • Infecções gastrointestinais: quando a síndrome do intestino irritável é causada por uma infecção, chamada “pós-infecciosa” (8, 9). Geralmente, é relacionada com infecções intestinais por vírus, bactérias e parasitas.
  • Mudanças na microbiota intestinal: as bactérias que habitam no intestino podem ter uma relação muito importante com o desenvolvimento da síndrome do intestino irritável. Desta forma, uma microbiota alterada torna o intestino suscetível a este problema (3).

Estresse e alterações de humor 

Muitas pessoas que sofrem da síndrome do intestino irritável passaram por situações estressantes desde jovens ou sofrem de algum transtorno de humor, como depressão ou ansiedade.

O estresse, de forma natural, ajuda a liberar hormônios que nos preparam para a sobrevivência. Porém, quando sofremos constantemente com situações estressantes, o corpo muda, sendo o intestino um dos principais afetados.

Desta forma, o cólon pode ficar muito sensível até com os menores estímulos estressantes, mostrando os sintomas do cólon irritável (10, 11, 12, 13).

Associação com outras doenças não gastrointestinais

Existem outras doenças que, muitas vezes, acontecem com mais frequência em pessoas com síndrome do intestino irritável. Isso não significa que é a causa ou consequência deste transtorno, mas sim que possivelmente existe uma certa pré-disposição pessoal.

Desta forma, as pessoas que sofrem dos seguintes transtornos têm uma maior possibilidade de sofrer da síndrome do intestino irritável (14)

  • Fibromialgia: síndrome que envolve dor crônica nos ossos, músculos e articulações (15)
  • Síndrome de fadiga crônica: doença crônica muito complexa, que é caracterizada pela fadiga persistente e uma diminuição da capacidade mental (16).
  • Transtorno da articulação temporomandibular: problemas que afetam os músculos e as articulações que ajudam a mastigar (17)
  • Dor pélvica crônica: síndrome que costuma afetar mulheres jovens e é caracterizada por uma dor contínua ou episódica abaixo do umbigo (18).
síndrome do intestino irritável tem cura
Aplique técnicas de relaxamento, como a meditação, para diminuir seus níveis de estresse. (Fonte: Rido: 113992521/ 123rf.com)

Tratamento para a síndrome do intestino irritável: Quais ferramentas tenho à disposição?

A síndrome do intestino irritável é uma doença que pode durar muito tempo e muitas vezes, desaparece e logo retorna, especialmente se você não tomar decisões definitivas para substituir os maus hábitos.

Infelizmente, não tem cura, mas existem muitas coisas que podem ser feitas para reduzir os sintomas ao mínimo.

Bons hábitos que você pode aplicar em sua vida diária

Aliviar a síndrome do intestino irritável implica em melhorar a saúde em geral e adotar bons hábitos que devem te acompanhar sempre. Recomendamos o seguinte:

  • Faça exercícios regularmente, começando com pelo menos 30 minutos, 3 vezes na semana;
  • Beba água suficiente, para evitar a desidratação durante a diarreia e para aliviar a constipação;
  • Aplique técnicas de relaxamento, como a meditação, para diminuir os níveis de estresse;
  • Tente comer as três principais refeições do dia sempre na mesma hora, para que o seu corpo se prepare para as refeições.
síndrome do intestino irritável tem cura
Consulte seu médico antes de utilizar suplementos para a síndrome do intestino irritável. (Fonte: Korzh: 41502956/ 123rf.com)

Alimentação: o pilar fundamental para o alívio da síndrome do intestino irritável

A alimentação é muito importante para aliviar os sintomas, como o inchaço, dor abdominal, flatulência, diarreia e constipação. Para isso, existem algumas recomendações gerais que você pode seguir na alimentação diária:

  • Diminua o consumo de bebidas com cafeína;
  • Evite alimentos picantes ou muito gordurosos (frituras);
  • Limite os produtos lácteos da dieta, especialmente se você for intolerante à lactose;
  • Evite alimentos que são associados ao desconforto gastrointestinal;
  • Limite o consumo de bebidas alcoólicas, pois podem irritar o intestino;
  • Procure um médico ou nutricionista.

Dieta baixa em FODMAP para o tratamento da síndrome do intestino irritável

FODMAP é um acrônimo em inglês, que é traduzido como oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis fermentáveis. Estes componentes são comuns em muitos alimentos e podem causar desconforto digestivo, especialmente em pessoas com a síndrome do intestino irritável.

A dieta baixa em FODMAP é uma estratégica aplicada para o controle dos sintomas do cólon irritável (19, 20). Esta deve ser seguida apenas com recomendação de um nutricionista e não deve ser utilizada com o objetivo de perder peso.

Nesta dieta, são seguidos três passos fundamentais:

  1. Eliminação de alimentos altos em FODMAP da sua dieta (esta etapa pode durar entre duas a seis semanas);
  2. Introdução paulatina de alimentos altos em FODMAP para identificar quais causam mais sintomas;
  3. Uma vez identificados os alimentos que causam os sintomas, você pode limitá-los ou evitá-los completamente em seu novo estilo de vida. 

Para ter uma pequena noção sobre os aumentos altos e baixos em FODMAP, você pode consultar a seguinte tabela (21):

Tipo de alimento Altos em FODMAP Baixos em FODMAP
Vegetais e leguminosas Alcachofra
Aspargos
Feijão
Couve-flor
Aipo
Repolho fermentado
Cogumelos
Ervilha
Grãos de soja
Cebolinha
Brócolis
Couve de Bruxelas
Repolho
Grão de bico
Milho
Abobrinha 
Pepino
Berinjela 
Pimentão verde
Couve
Azeitona
Batata doce
Espinafre
Frutas Maçã 
Abacate
Amora
Cereja
Tâmara
Figo
Uva
Manga
Pêssego
Toranja
Uva passa
Ameixa
Melancia
Banana verde
Mirtilo
Melão
Kiwi
Limão
Lima
Laranja
Framboesa
Morango
Carnes, frutos do mar e substitutos Linguiça
Salsicha
Todo tipo de carnes vermelha e branca sem ingredientes adicionais
Todo tipo de frutos do mar sem ingredientes adicionais
Cereais, pão, massa e oleaginosas Produtos com trigo: biscoitos, bolos, doces, pão, massa de trigo 
Centeio
Sêmola
Pães sem glúten
Amêndoas
Arroz
Batatas
Produtos derivados do milho
Sementes de papoula, abóbora, gergelim e girassol

Este método ainda está sendo estudado por profissionais, mas seus resultados são muito promissores.

Medicamentos para o tratamento do cólon irritável

O seu médico pode prescrever alguns medicamentos para o controle dos sintomas da síndrome do intestino irritável que podem variar dependendo do que está te afetando:

  • Relaxantes musculares para aliviar cólicas;
  • Medicamentos antidiarreicos;
  • Laxantes;
  • Antibióticos, se o cólon irritável estiver relacionado com infecções intestinais;
  • Medicamentos para regular o humor.

Você não deve tomar medicamentos sem prévia indicação do seu médico, pois em alguns casos podem piorar os sintomas.

síndrome do intestino irritável tem cura
O exercício físico pode ajudar no controle da síndrome do intestino irritável. (Fonte: Dolgachov: 32337262 / 123rf.com)

Probióticos: uma ferramenta promissora

Os probióticos são suplementos que fornecem microrganismos similares aos encontrados em um intestino saudável. Eles podem ajudar a controlar os sintomas da síndrome do intestino irritável, já que uma flora intestinal equilibrada é fundamental para melhorar esta síndrome (21, 22).

Os estudos indicam que os melhores probióticos são aqueles que contém uma grande variedade de cepas probióticas, como as bactéricas Lactobacillus e Bifidobacterium e o fungo Saccharomyces cerevisiae, além de uma quantidade de cem a cem mil milhões de Unidades Formadoras de Colônias (23).

Estes suplementos são de venda livre e são considerados seguros para a maioria das pessoas. No entanto, é necessário consultar um médico antes de consumir, especialmente se serão administrados em crianças, mulheres grávidas e pessoas com as “defesas baixas”.


Nossa conclusão

A síndrome do intestino irritável é um transtorno que impacta na qualidade de vida de muitas pessoas ao redor do mundo, especialmente aquelas que têm uma conexão muito importante entre estes sintomas e seu estado emocional, sendo associada de forma inconsciente à situações de muito estresse.

Foram desenvolvidas muitas estratégias para o seu tratamento, sendo que a mais notável é um estilo de alimentação com alimentos baixos em FODMAPS, o uso de probióticos e as estratégias psicológicas para o controle dos sintomas.

Se estas informações foram importantes para você ou para alguma pessoa que você conhece, não deixe de compartilhar este artigo em suas redes sociais. Além disso, deixe um comentário para nós com a sua opinião.

(Fonte da imagem destacada: Mironova: 132511886 / 123rf.com)

Referências(23)

  1. Mearin F, Montoro MA. Síndrome de intestino irritable. AegastroEs n.d.
  2. Síndrome de colon irritable: número de casos 2011-2016 [Internet]. Statista.com.
  3. Personal de Mayo Clinic. Irritable bowel syndrome [Internet]. Mayoclinic.org.
  4. Talley NJ, Zinsmeister AR, Van Dyke C, Melton LJ 3rd. Epidemiology of colonic symptoms and the irritable bowel syndrome. Gastroenterology 1991;101:927–34.
  5. Jones R, Lydeard S. Irritable bowel syndrome in the general population. BMJ. 1992;304(6819):87–90.
  6. Whorwell PJ, McCallum M, Creed FH, Roberts CT. Non-colonic features of irritable bowel syndrome. Gut. 1986;27(1):37–40.
  7. Maxton DG, Morris J, Whorwell PJ. More accurate diagnosis of irritable bowel syndrome by the use of “non-colonic” symptomatology. Gut 1991;32:784–6.
  8. Spiller R, Garsed K. Postinfectious irritable bowel syndrome. Gastroenterology 2009;136:1979–88.
  9. Thabane M, Kottachchi DT, Marshall JK. Systematic review and meta-analysis: The incidence and prognosis of post-infectious irritable bowel syndrome: SYSTEMATIC REVIEW: POST-INFECTIOUS IBS. Aliment Pharmacol Ther. 2007;26(4):535–44.
  10. Taché Y, Martinez V, Wang L, Million M. CRF1 receptor signaling pathways are involved in stress-related alterations of colonic function and viscerosensitivity: implications for irritable bowel syndrome. Br J Pharmacol 2004;141:1321–30.
  11. O’Mahony SM, Marchesi JR, Scully P, Codling C, Ceolho A-M, Quigley EMM, et al. Early life stress alters behavior, immunity, and microbiota in rats: implications for irritable bowel syndrome and psychiatric illnesses. Biol Psychiatry. 2009;65(3):263–7.
  12. Kiank C, Taché Y, Larauche M. Stress-related modulation of inflammation in experimental models of bowel disease and post-infectious irritable bowel syndrome: role of corticotropin-releasing factor receptors. Brain Behav Immun 2010;24:41–8.
  13. Mudyanadzo TA, Hauzaree C, Yerokhina O, Architha NN, Ashqar HM. Irritable bowel syndrome and depression: A shared pathogenesis. Cureus 2018;10:e3178.
  14. Whitehead WE, Palsson O, Jones KR. Systematic review of the comorbidity of irritable bowel syndrome with other disorders: what are the causes and implications? Gastroenterology 2002;122:1140–56.
  15. Chang L. The association of irritable bowel syndrome and fibromyalgia. UncEdu n.d.
  16. What is chronic fatigue syndrome and how is it related to irritable bowel syndrome (IBS)? WebmdCom n.d.
  17. Mobilio N, Iovino P, Bruno V, Catapano S. Severity of irritable bowel syndrome in patients with temporomandibular disorders: A case-control study. J Clin Exp Dent 2019;11:e802–6.
  18. Choung RS, Herrick LM, Locke GR 3rd, Zinsmeister AR, Talley NJ. Irritable bowel syndrome and chronic pelvic pain: a population-based study. J Clin Gastroenterol 2010;44:696–701.
  19. Mitchell H, Porter J, Gibson PR, Barrett J, Garg M. Review article: implementation of a diet low in FODMAPs for patients with irritable bowel syndrome-directions for future research. Aliment Pharmacol Ther 2019;49:124–39.
  20. Tuck CJ, Reed DE, Muir JG, Vanner SJ. Implementation of the low FODMAP diet in functional gastrointestinal symptoms: A real-world experience. Neurogastroenterol Motil 2020;32:e13730.
  21. Irritable Bowel Syndrome Treatment. HopkinsmedicineOrg n.d.
  22. Dinan TG, Cryan JF. The microbiome-gut-brain axis in health and disease. Gastroenterol Clin North Am 2017;46:77–89.
  23. Dale HF, Rasmussen SH, Asiller ÖÖ, Lied GA. Probiotics in irritable bowel syndrome: An up-to-date systematic review. Nutrients. 2019 Sep 1 ;11(9).
Anterior Prisão de ventre: causas mais comuns deste incômodo Próximo Colágeno hidrolisado: O que é e para que é utilizado
Artigo científico
Mearin F, Montoro MA. Síndrome de intestino irritable. AegastroEs n.d.
Ir para a fonte
Site oficial
Síndrome de colon irritable: número de casos 2011-2016 [Internet]. Statista.com.
Ir para a fonte
Site oficial
Personal de Mayo Clinic. Irritable bowel syndrome [Internet]. Mayoclinic.org.
Ir para a fonte
Artigo científico
Talley NJ, Zinsmeister AR, Van Dyke C, Melton LJ 3rd. Epidemiology of colonic symptoms and the irritable bowel syndrome. Gastroenterology 1991;101:927–34.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Jones R, Lydeard S. Irritable bowel syndrome in the general population. BMJ. 1992;304(6819):87–90.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Whorwell PJ, McCallum M, Creed FH, Roberts CT. Non-colonic features of irritable bowel syndrome. Gut. 1986;27(1):37–40.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Maxton DG, Morris J, Whorwell PJ. More accurate diagnosis of irritable bowel syndrome by the use of “non-colonic” symptomatology. Gut 1991;32:784–6.
Ir para a fonte
Artigo científico
Spiller R, Garsed K. Postinfectious irritable bowel syndrome. Gastroenterology 2009;136:1979–88.
Ir para a fonte
Artigo científico
Thabane M, Kottachchi DT, Marshall JK. Systematic review and meta-analysis: The incidence and prognosis of post-infectious irritable bowel syndrome: SYSTEMATIC REVIEW: POST-INFECTIOUS IBS. Aliment Pharmacol Ther. 2007;26(4):535–44.
Ir para a fonte
Artigo científico
Taché Y, Martinez V, Wang L, Million M. CRF1 receptor signaling pathways are involved in stress-related alterations of colonic function and viscerosensitivity: implications for irritable bowel syndrome. Br J Pharmacol 2004;141:1321–30.
Ir para a fonte
Estudo em ratos
O’Mahony SM, Marchesi JR, Scully P, Codling C, Ceolho A-M, Quigley EMM, et al. Early life stress alters behavior, immunity, and microbiota in rats: implications for irritable bowel syndrome and psychiatric illnesses. Biol Psychiatry. 2009;65(3):263–7.
Ir para a fonte
Artigo científico
Kiank C, Taché Y, Larauche M. Stress-related modulation of inflammation in experimental models of bowel disease and post-infectious irritable bowel syndrome: role of corticotropin-releasing factor receptors. Brain Behav Immun 2010;24:41–8.
Ir para a fonte
Artigo científico
Mudyanadzo TA, Hauzaree C, Yerokhina O, Architha NN, Ashqar HM. Irritable bowel syndrome and depression: A shared pathogenesis. Cureus 2018;10:e3178.
Ir para a fonte
Artigo científico
Whitehead WE, Palsson O, Jones KR. Systematic review of the comorbidity of irritable bowel syndrome with other disorders: what are the causes and implications? Gastroenterology 2002;122:1140–56.
Ir para a fonte
Artigo científico
Chang L. The association of irritable bowel syndrome and fibromyalgia. UncEdu n.d.
Ir para a fonte
Site oficial
What is chronic fatigue syndrome and how is it related to irritable bowel syndrome (IBS)? WebmdCom n.d.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Mobilio N, Iovino P, Bruno V, Catapano S. Severity of irritable bowel syndrome in patients with temporomandibular disorders: A case-control study. J Clin Exp Dent 2019;11:e802–6.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Choung RS, Herrick LM, Locke GR 3rd, Zinsmeister AR, Talley NJ. Irritable bowel syndrome and chronic pelvic pain: a population-based study. J Clin Gastroenterol 2010;44:696–701.
Ir para a fonte
Artigo científico
Mitchell H, Porter J, Gibson PR, Barrett J, Garg M. Review article: implementation of a diet low in FODMAPs for patients with irritable bowel syndrome-directions for future research. Aliment Pharmacol Ther 2019;49:124–39.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Tuck CJ, Reed DE, Muir JG, Vanner SJ. Implementation of the low FODMAP diet in functional gastrointestinal symptoms: A real-world experience. Neurogastroenterol Motil 2020;32:e13730.
Ir para a fonte
Site oficial
Irritable Bowel Syndrome Treatment. HopkinsmedicineOrg n.d.
Ir para a fonte
Artigo científico
Dinan TG, Cryan JF. The microbiome-gut-brain axis in health and disease. Gastroenterol Clin North Am 2017;46:77–89.
Ir para a fonte
Revisão sistemática
Dale HF, Rasmussen SH, Asiller ÖÖ, Lied GA. Probiotics in irritable bowel syndrome: An up-to-date systematic review. Nutrients. 2019 Sep 1 ;11(9).
Ir para a fonte