Magnésio: Contraindicação e como ele pode afetar o organismo?

O magnésio é um elemento fundamental para a saúde por estar presente em mais de 300 funções do organismo. No entanto, o que poucas pessoas se dão conta é que, como em qualquer composto, pode haver alguma contraindicação ao magnésio. Em alguns casos, ele pode afetar negativamente o organismo.

Obtido por meio de dieta equilibrada — ou com a ajuda de suplementação — é importante consumir a quantidade recomendada de magnésio, mas estar sempre atento às orientações de especialistas. É sobre isso que falaremos a partir de agora. Siga com a gente!

Pontos-chave

  • O magnésio é um elemento fundamental para diversas funções no corpo humano. Ele ajuda a manter o funcionamento dos músculos, nervos, coração e, ainda, contribui para fortalecer o sistema imunológico.
  • Os suplementos de magnésio são uma forma eficaz de aumentar os níveis deste mineral no sangue. No entanto, adotar uma dieta equilibrada é sempre o primeiro passo para o equilíbrio nutricional do organismo.
  • Certas pessoas podem desenvolver reações adversas ao fazer a suplementação de magnésio. Por isso, é fundamental consultar um médico antes de iniciar essa prática. Ele poderá avaliar se o produto é ou não indicado para cada situação.

Tudo o que você precisa saber sobre as contraindicações do magnésio

É possível obter magnésio por meio da dieta e com o uso de suplementos. Em geral, o mineral obtido por meio dos alimentos não causa efeitos adversos. Já os suplementos deste mineral podem levar a problemas em pessoas com sensibilidade ao composto.

Além disso, há grupos específicos que são mais suscetíveis a algum tipo de reação ao magnésio. Pessoas que se enquadram em uma das seguintes situações devem ter muito cuidado com a ingestão deste mineral:

Contraindicação Possíveis efeitos colaterais
Insuficiência renal Acúmulo do magnésio no sangue e intoxicação
Bloqueios cardíacos Piora do bloqueio cardíaco
Interações medicamentosas Alteração do efeito de medicamentos
Combinação com cálcio Efeitos indesejados nos ossos e outros órgãos
Alergias Irritação, vermelhidão e coceiras na pele
Dificuldade para respirar

Insuficiência renal

Os rins são os encarregados de filtrar o que vai ser descartado e o que permanece na corrente sanguínea. Quando há um excesso de alguma substância, eles são os responsáveis por “expulsá-la” por meio da urina (1).

Quando os rins passam por alguma enfermidade, perdem a capacidade de eliminar apropriadamente os compostos que precisam ser descartados. Assim, podem levar ao acúmulo de substâncias, gerando sintomas indesejados e afetando o funcionamento de outros órgãos (2).

Essa reação pode ocorrer com o magnésio, já que este elemento é, regularmente, eliminado pela urina. Aumentar o consumo do mineral quando os rins não funcionam bem pode levar a efeitos colaterais. Portanto, lembre-se não usar suplemento de magnésio a menos que seja prescrito pelo seu médico.

magnesio contra indicação
É muito importante consultar um médico antes de começar qualquer tratamento, especialmente para quem faz parte de grupos suscetíveis à contraindicação do magnésio. (Fonte: Online marketing: hIgeoQjS_iE/ Unsplash.com)

Bloqueios cardíacos

O magnésio ajuda a manter os batimentos regulares do coração. No entanto, em algumas condições, aumentar o consumo do mineral pode levar á alterações desta regularidade (3).

Os bloqueios cardíacos ocorrem quando o coração perde seu ritmo ou “pula” algumas batidas. Isto ocorre por um atraso na passagem dos sinais elétricos que induzem a contração dos músculos cardíacos (4).

Neste sentido, o consumo de magnésio poderia piorar os bloqueios —ou, até mesmo causá-los — em pessoas com enfermidades do coração ou com predisposição a este quadro (5). Portanto, é importante usar suplementos com muita precaução!

Interações medicamentosas

Todo medicamento ingerido viaja pelo corpo desde o sistema digestivo até chegar aos órgãos onde deve agir. Em algumas situações, o magnésio pode ser um obstáculo para a absorção do fármaco pelo intestino, fazendo com que seu efeito seja menor que o esperado.

Já existe uma lista de medicamentos que têm sua ação bloqueada pelos suplementos de magnésio (6). Assim, se você faz tratamento com algum deles, já sabe que não deve adotar a suplementação:

  1. Tetraciclinas: antibióticos utilizados contra infecções respiratórias, da pele e dos olhos (7);
  2. Quinolonas: antibióticos que tratam um amplo espectro de infecções causadas por bactérias (8);
  3. Bifosfonatos: medicamentos que evitam a perda da densidade óssea, consequência da osteoporose e do câncer nos ossos (9).

Pode ser que o medicamento utilizado no seu tratamento não seja influenciado pelo consumo do magnésio. Mas, para ter certeza a este respeito, a única alternativa é contar com a orientação do seu médico de confiança.

magnesio contra indicação
Tomar magnésio em combinação com outros medicamentos pode criar um obstáculo para a absorção do fármaco pelo intestino. (Fonte: Mereckas: 1TL8AoEDj_c/ Unsplash.com)

Combinação com cálcio

O cálcio é muito importante para a estrutura óssea e também para o bom funcionamento de muitos órgãos e sistemas. Neste sentido, o magnésio é um grande aliado. Ele facilita o transporte e a absorção deste mineral pelo organismo (10).

No entanto, como sabemos, todo excesso é prejudicial. O consumo em grande quantidade de cálcio (pela alimentação ou por suplementos) em combinação com a ingestão de magnésio, pode causar danos à saúde.

Entre os principais sintomas que podem surgir indicando essa combinação excessiva dos dois minerais, podemos citar (11):

  • Aumento da sede, do fluxo de urina e dor abdominal (primeiros sinais);
  • Formação de cálculos renais, as famosas “pedras nos rins”;
  • Alteração da estrutura normal dos ossos;
  • Alteração no ritmo cardíaco;
  • Mal estar estomacal como náuseas, vômito e prisão de ventre;
  • Desmaios.

Se estiver fazendo uso de suplementos e perceber alguns destes sintomas, consulte seu médico imediatamente.

Alergias

As alergias a suplementos de magnésio são raras, mas podem ocorrer. Para identificá-las é preciso, antes de tudo, fazer uma distinção entre o magnésio consumido nos alimentos e pelo mineral obtido por suplementação:

Magnésio nos alimentos

  • Não há relatos de casos de alergia ao magnésio presente nos alimentos. Quem sofre de sensibilidade a este mineral raramente terá problemas ao consumir o composto por meio da dieta, de forma natural;
  • Existem pessoas que desenvolvem alergia a alimentos que contêm magnésio, como o creme de cacau, as amêndoas e os laticínios. Mas isso não significa que sejam alérgicas ao mineral;
  • É importante consumir alimentos ricos em magnésios todos os dias. Pessoas que apresentam intolerância a estes alimentos, precisam buscar ajuda de um nutricionista para fazer a complementação deste nutriente da forma correta.

Magnésio em suplementos ou produtos de uso externo

  • Certos produtos que contêm sulfato de magnésio (como os sais de Epsom) ou o cloruro de magnésio (magnésio em cristais) podem desencadear reações alérgicas (12, 13);
  • Algumas reações podem ocorrer tanto com a ingestão quanto com o uso externo. Tomar banho em praias ricas em sais de magnésio também pode levar a alergias;
  • As reações alérgicas podem se apresentar com a vermelhidão da pele, coceira, inchaço e até mesmo dificuldade respiratória (14);
  • Ao apresentar qualquer reação adversa, suspenda o uso do magnésio e busque ajuda com seu médico ou em um serviço de saúde.
É importante consumir alimentos ricos em magnésio todos os dias. (Fonte: Ignacio: cJ8KnKU247s/ Unsplash.com)

Conselhos para consumir magnésio com segurança

O magnésio é essencial para que o organismo funcione com regularidade. Isso porque ele está presente em cerca de 300 funções no corpo humano. Portanto, se você quer desfrutar de todos os benefícios deste mineral, acompanhe os conselhos que apresentamos agora!

Dose recomendada

A quantidade diária de magnésio que o organismo necessita pode variar de acordo com as características específicas de cada pessoa, como a idade, o sexo e condições de saúde.

Para simplificar, os adultos saudáveis não devem ultrapassar a dose de 350 miligramas de magnésio por dia. Como já mostramos, o consumo excessivo deste mineral pode trazer danos ao coração e ao cérebro (15, 16).

Suplemento tradicional X suplemento lipossomal

O uso de cápsulas tradicionais ou do mineral em pó eram, até pouco tempo, a principal forma de administração do magnésio. O problema é que podem trazer efeitos colaterais como o desconforto estomacal, náuseas e problemas no trânsito intestinal.

Felizmente, a tecnologia chegou ao mundo da suplementação. Assim, suplementos lipossomais de magnésio se apresentaram como uma alternativa para um tratamento mais eficaz.

Os nutrientes consumidos em suplementos lipossomais são encapsulados em um revestimento com estrutura similar à das próprias células. Com isso, o composto fica protegido até chegar ao intestino, onde tem sua absorção facilitada pela semelhança com o tecido celular.

Produtos que devem ser evitados

Nem todos os produtos com magnésio podem trazer benefícios à saúde ou serão bem absorvido pelo organismo. Por essa razão, deve-se evitar qualquer produto que:

  • Esteja mal etiquetado;
  • Não indique os ingredientes;
  • Seja de fabricação caseira.

Produtos para veganos e vegetarianos

Se você é vegano ou vegetariano e quer utilizar suplementos de magnésio, não precisa se preocupar! Este mineral usualmente provém de fontes vegetais e está presente na dieta vegana naturalmente.

Ao comprar suplementos, no entanto, verifique, sobretudo, o material de que é produzido o revestimento das cápsulas. Muitas costumam ser de origem animal.

O suplemento lipossomal de magnésio da Sundt Nutrition é formulado com ingredientes 100 % naturais. Ou seja, é perfeito para dietas veganas e vegetarianas.

[ux_banner height=”500px” bg=”1464″] [text_box position_x=”50″ position_y=”50″]

O magnésio é um mineral muito importante para o organismo.

[/text_box] [/ux_banner]

Suplementos para pessoas com intolerância alimentar

Muitas vezes a busca pelo melhor suplemento pode ser muito difícil. Isso fica ainda mais perceptível para as pessoas com alergia ou intolerância a certos alimentos. Neste caso, temos alguns conselhos para facilitar a sua decisão:

  • Ingredientes como glúten, lactose e frutos com casca devem ser obrigatoriamente declarados no rótulo do produto;
  • Sempre confira a composição do suplemento se tiver dúvida sobre a presença de alguma substância a qual você é alérgico ou intolerante;
  • Evite consumir produtos que não contenham certificação e a lista completa de ingredientes e excipientes;
  • Não consuma produtos vencidos;
  • Sempre consulte seu médico ou farmacêutico antes de escolher o produto.

Nossa conclusão

O magnésio oferece incríveis benefícios à saúde. É por isso que manter os níveis adequados deste mineral no sangue é uma atitude fundamental para o bem estar. No entanto a contraindicação de uso dos suplementos deste nutriente é um ponto que merece atenção.

Neste artigo, mostramos como o uso do magnésio pode prejudicar especialmente grupos de pessoas com doenças pré-existentes. Falamos também sobre a vantagem de escolher um produto de alta tecnologia e eficácia, como os suplementos lipossomais, para potencializar a ação benéfica do magnésio no organismo.

Esperamos que este material tenha ajudado a esclarecer suas dúvidas e alertar para o uso seguro do magnésio. Se gostou, aproveite para compartilhar com a família e conhecer mais conteúdos como este em nosso site.

(Fonte da imagem em destaque: howtogym: S9NchuPb79I/ Unsplash.com)

Referências(21)

  1. Pérez González E., Santos Rodríguez F., Coto García E. Homeostasis del magnesio: Etiopatogenia, clínica y tratamiento de la hipomagnesemia. A propósito de un caso. Nefrología (Madr.) [Internet]. 2009; 29(6): 518-524.
  2. Tapia H, Mora C, Navarro J. Magnesio en la Enfermedad Renal Crónica. Sociedad Española de Nefrología. 2007.
  3. Dinicolantonio JJ, Liu J, O’Keefe JH. Magnesium for the prevention and treatment of cardiovascular disease. Open Heart. 2018;5(2).
  4. Bloqueo cardíaco: MedlinePlus enciclopedia médica [Internet]. MedlinePlus. U.S. National Library of Medicine; 2020.
  5. Thanthulage S, Stacey S. Magnesium sulphate and ischaemic heart disease. British Journal of Anaesthesia. 2006;96(3):403–4.
  6. Magnesio [Internet]. Agencia Española de Medicamentos y Productos Sanitarios. 2020.
  7. Tetraciclina: MedlinePlus medicinas [Internet]. MedlinePlus. U.S. National Library of Medicine
  8. Alós J-I. Quinolones [Internet]. Enfermedades infecciosas y microbiología clínica. U.S. National Library of Medicine; 2009.
  9. Tratamiento con Bifosfonatos [Internet]. rheumatology.org. 2019
  10. Castiglioni S, Cazzaniga A, Albisetti W, Maier J. Magnesium and Osteoporosis: Current State of Knowledge and Future Research Directions. Nutrients. 2013;5(8):3022–33.
  11. Hipercalcemia [Internet]. Mayo Clinic. Mayo Foundation for Medical Education and Research; 2018.
  12. Sulfato de magnesio, sulfato de potasio y sulfato de sodio: MedlinePlus medicinas [Internet]. MedlinePlus. U.S. National Library of Medicine.
  13. Sales de magnesio (carbonato fosfato óxido de magnesio) [Internet]. Sales de magnesio (carbonato fosfato óxido de magnesio) | Asociación Española de Pediatría. 2016.
  14. Jr. JMT, Katz VL, Campbell D, Cefalo RC. Hypersensitivity to magnesium sulfate. American Journal of Obstetrics and Gynecology. 1989;161(4):889–90
  15. Office of Dietary Supplements - Magnesio [Internet]. NIH Office of Dietary Supplements. U.S. Department of Health and Human Services. 2020.
  16. Magnesium: Uses, Side Effects, Interactions, Dosage, and Warning [Internet]. WebMD. WebMD; 2020.
  17. Walker AF, Marakis G, Christie S, Byng M. Mg citrate found more bioavailable than other Mg preparations in a randomised, double-blind study. Magnes Res. 2003;16(3):183-191.
  18. PubChem [Internet]. Magnesium chloride. National Library of Medicine (US), National Center for Biotechnology Information; 2004.
  19. Uysal N, Kizildag S, Yuce Z, et al. Timeline (Bioavailability) of Magnesium Compounds in Hours: ¿Which Magnesium Compound Works Best? Biol Trace Elem Res. 2019;187(1):128-136.
  20. Ferreira I, Ortigoza Á, Moore P. Magnesium and malic acid supplement for fibromyalgia. Suplemento de magnesio y ácido málico para fibromialgia. Medwave. 2019;19(4): e7633. Publicado em 2019.
  21. National Center for Biotechnology Information [Internet]. Threonic acid. PubChem Compound Summary.
Anterior Quais são as causas da diarreia? Próximo Alimentos com vitamina D3: Quais os mais ricos neste nutriente?
Artigo científico
Pérez González E., Santos Rodríguez F., Coto García E. Homeostasis del magnesio: Etiopatogenia, clínica y tratamiento de la hipomagnesemia. A propósito de un caso. Nefrología (Madr.) [Internet]. 2009; 29(6): 518-524.
Ir para a fonte
Artigo científico
Tapia H, Mora C, Navarro J. Magnesio en la Enfermedad Renal Crónica. Sociedad Española de Nefrología. 2007.
Ir para a fonte
Artigo científico
Dinicolantonio JJ, Liu J, O’Keefe JH. Magnesium for the prevention and treatment of cardiovascular disease. Open Heart. 2018;5(2).
Ir para a fonte
Site oficial
Bloqueo cardíaco: MedlinePlus enciclopedia médica [Internet]. MedlinePlus. U.S. National Library of Medicine; 2020.
Ir para a fonte
Artigo científico
Thanthulage S, Stacey S. Magnesium sulphate and ischaemic heart disease. British Journal of Anaesthesia. 2006;96(3):403–4.
Ir para a fonte
Ficha técnica
Magnesio [Internet]. Agencia Española de Medicamentos y Productos Sanitarios. 2020.
Ir para a fonte
Site oficial
Tetraciclina: MedlinePlus medicinas [Internet]. MedlinePlus. U.S. National Library of Medicine
Ir para a fonte
Site oficial
Alós J-I. Quinolones [Internet]. Enfermedades infecciosas y microbiología clínica. U.S. National Library of Medicine; 2009.
Ir para a fonte
Site oficial
Tratamiento con Bifosfonatos [Internet]. rheumatology.org. 2019
Ir para a fonte
Artigo científico
Castiglioni S, Cazzaniga A, Albisetti W, Maier J. Magnesium and Osteoporosis: Current State of Knowledge and Future Research Directions. Nutrients. 2013;5(8):3022–33.
Ir para a fonte
Site oficial
Hipercalcemia [Internet]. Mayo Clinic. Mayo Foundation for Medical Education and Research; 2018.
Ir para a fonte
Site oficial
Sulfato de magnesio, sulfato de potasio y sulfato de sodio: MedlinePlus medicinas [Internet]. MedlinePlus. U.S. National Library of Medicine.
Ir para a fonte
Site oficial
Sales de magnesio (carbonato fosfato óxido de magnesio) [Internet]. Sales de magnesio (carbonato fosfato óxido de magnesio) | Asociación Española de Pediatría. 2016.
Ir para a fonte
Casos clínicos
Jr. JMT, Katz VL, Campbell D, Cefalo RC. Hypersensitivity to magnesium sulfate. American Journal of Obstetrics and Gynecology. 1989;161(4):889–90
Ir para a fonte
Web oficial
Office of Dietary Supplements - Magnesio [Internet]. NIH Office of Dietary Supplements. U.S. Department of Health and Human Services. 2020.
Ir para a fonte
Site oficial
Magnesium: Uses, Side Effects, Interactions, Dosage, and Warning [Internet]. WebMD. WebMD; 2020.
Ir para a fonte
Estudo em humanos
Walker AF, Marakis G, Christie S, Byng M. Mg citrate found more bioavailable than other Mg preparations in a randomised, double-blind study. Magnes Res. 2003;16(3):183-191.
Ir para a fonte
Artigo científico
PubChem [Internet]. Magnesium chloride. National Library of Medicine (US), National Center for Biotechnology Information; 2004.
Ir para a fonte
Estudo em ratos
Uysal N, Kizildag S, Yuce Z, et al. Timeline (Bioavailability) of Magnesium Compounds in Hours: ¿Which Magnesium Compound Works Best? Biol Trace Elem Res. 2019;187(1):128-136.
Ir para a fonte
Artigo científico
Ferreira I, Ortigoza Á, Moore P. Magnesium and malic acid supplement for fibromyalgia. Suplemento de magnesio y ácido málico para fibromialgia. Medwave. 2019;19(4): e7633. Publicado em 2019.
Ir para a fonte
Artigo científico
National Center for Biotechnology Information [Internet]. Threonic acid. PubChem Compound Summary.
Ir para a fonte