Excesso de vitamina A: Como tratar?

Imagem de pílulas.

As vitaminas são nutrientes importantes para o organismo, mas não são produzidas naturalmente. Portanto, é fundamental manter uma dieta balanceada, com alimentos que forneçam essas substâncias. E em alguns casos, é necessário incluir a suplementação.

Mas o excesso de vitaminas pode prejudicar o organismo, pois essas substâncias podem provocar intoxicação e Hipervitaminose, causando inúmeras complicações de saúde. Neste artigo, vamos falar sobre os males decorrentes do excesso de vitamina A.

Pontos-chave

  • O consumo excessivo de vitamina A pode provocar queda de cabelo, lábios rachados, ressecamento da pele, enfraquecimento dos ossos, dores de cabeça, elevação no nível de cálcio no sangue e até aumento de pressão intracraniana.
  • O excesso de vitamina A durante a gravidez pode causar problemas sérios para o bebê como malformações dos olhos, crânio, pulmões e coração. Em casos mais graves, pode ocorrer o aborto espontâneo.
  • O diagnóstico de Hipervitaminose A é feito com base na análise de sintomas e realização de exames de sangue com ênfase no nível sérico dessa substância.
  • Normalmente, o excesso de vitamina A está associado ao consumo do suplemento de vitamina A ou polivitamínico. Portanto, antes de suplementar vitamina A ou qualquer outra, procure orientação médica.

Excesso de vitamina A: Tudo o que você precisa saber

Muitas pessoas recorrem aos suplementos vitamínicos por não conseguirem manter uma alimentação balanceada. A ingestão de legumes, frutas e verduras é substituído por cápsulas que quando consumidas de forma inadequada, podem causar problemas de saúde.

O excesso de vitamina A está associado a diversos problemas de saúde que podem acometer crianças, adultos, gestantes e idosos. Para saber quais são os sintomas, diagnóstico e o tratamento de Hipervitaminose A, continue a leitura.

 Imagem de uma pessoa segurando algumas cápsulas.
O excesso de vitamina A está associado ao consumo de suplementos dessa vitamina sem orientação médica. (Fonte: R+R Medicinals/ Unsplash.com)

Quais são os males causados pelo excesso de vitamina A?

A vitamina A faz parte do grupo de vitaminas lipossolúveis, ou seja, sua estrutura é oleosa e dissolve-se apenas em gordura e não em água. Como não pode ser eliminada pela urina, a vitamina A pode acumular no organismo e causar intoxicação vitamínica (1).

É importante ressaltar que é muito raro sofrer de Hipervitaminose A apenas ao consumir alimentos que forneçam essa vitamina. O perigo está em ingerir suplementos alimentares ou multivitamínicos sem orientação médica.

Os sintomas associados ao excesso de vitamina A dependem da gravidade do caso, ou seja, nível de dosagem e tempo de consumo (2). Preparamos uma tabela comparativa para você entender melhor sobre o assunto:

Consumo excessivo de vitamina A à curto prazoDores de cabeça, erupções cutâneas, falta de apetite, edema, cansaço, irritabilidade, sangramentos, aumento do tamanho do baço e fígado, alterações da função hepática e redução dos níveis de colesterol HDL (bom colesterol)
Consumo excessivo de vitamina A à longo prazoRessecamento da pele, rachaduras nos lábios, engrossamento dos pelos, enfraquecimento dos ossos, dores nas articulações, tontura, queda de cabelo acentuada, dores na cabeça, câimbras, lesões hepáticas, deficiências no crescimento e descontrole do nível de cálcio
Consumo tóxico de vitamina ASonolência, irritabilidade, náuseas, vômito, dor de cabeça, fraqueza, irritação cutânea, dores articulares, diminuição da densidade óssea, osteoporose, aumento do tamanho do fígado e do baço, aumento da pressão intracraniana, coma e morte – em casos muito graves.

Importante mencionar que as pessoas com problemas nos rins ou fígado estão mais suscetíveis a sofrer do excesso de vitamina A, mas os problemas podem afetar qualquer pessoa.

Como é feito o diagnóstico da Hipervitaminose A?

O diagnóstico de Hipervitaminose ou intoxicação por vitamina A é feito principalmente com base na análise dos sintomas e realização de exame de sangue para medir o índice de vitamina A na corrente sanguínea.

São dois exames diferentes: Dosagem de retinol sérico ou dosagem de retinol no leite materno, no caso de lactantes.

O nutricionista ou nutrólogo também pode avaliar o índice de vitamina A por meio de inquérito quantitativo e qualitativo, em que o profissional avalia a quantidade ingerida de cada nutriente com base na análise da alimentação do indivíduo.

Imagem de uma mulher grávida.
O exame de sangue para detectar deficiência de vitamina A em lactantes é diferente do exame comum. (Fonte: Jonas Kakaroto/ Pexels.com)

Como é feito o tratamento da Hipervitaminose A?

Quando constatada a intoxicação por vitamina A é necessário tratar o problema rapidamente. O tratamento é simples e consiste em interromper o consumo do suplemento de vitamina A até equilibrar as necessidades do organismo.

Como evitar o excesso de vitamina A no organismo?

Para evitar a Hipervitaminose ou intoxicação de vitamina A no organismo, é fundamental procurar orientação de um especialista antes de consumir um suplemento de vitamina A ou polivitamínico.

Com a análise médica é possível estabelecer quais vitaminas o organismo precisa. Importante mencionar que a recomendação diária de vitamina A pode variar de pessoa para pessoa, de acordo com o sexo, idade e condições de saúde.

Após constatada a necessidade de suplementação, você pode ser encaminhado a um médico endocrinologista ou nutricionista para iniciar o tratamento. Para evitar a deficiência de vitaminas, sugerimos que você mantenha uma alimentação equilibrada, rica em frutas, verduras e legumes.

Quais são os riscos de excesso de vitamina A em gestantes?

Durante os períodos de gestação e amamentação, recomenda-se a ingestão diária de cerca de 800 microgramas de vitamina A – ao comer uma cenoura média crua, você atinge essa dosagem.

No entanto, se você estiver com alguma deficiência nutricional, pode ser preciso suplementar essa vitamina. Mas é fundamental procurar aconselhamento médico antes de iniciar a suplementação, pois o excesso de vitamina A durante a gravidez pode causar diversos problemas (3).

Os problemas mais comuns são: má formação no crânio do bebê, defeito no canal auricular, cegueira, atrofia óssea – olhos separados, testa e nariz pequenos – além de lesões cardíacas, mal desenvolvimento do sistema nervoso ou imunológico e até aborto espontâneo.

Imagem de uma mulher grávida sentada.
O excesso de vitamina A pode causar diversos problemas durante a gravidez. (Fonte: Juli Chao/ Pexels.com)

Quais são os problemas causados pela deficiência de vitamina A?

Depois de detalhar os males causados pelo excesso de vitamina A, precisamos explicar que quando essa vitamina está em falta, você também pode apresentar alguns problemas de saúde.

Na infância, a falta de vitamina A pode causar enfraquecimento severo do sistema imunológico, o que pode levar à morte, caso a criança contraia alguma infecção severa. A deficiência de vitamina A também pode prejudicar o crescimento e desenvolvimento do menino ou da menina.

Nos adultos, um dos problemas mais graves causado pela deficiência de vitamina A é a “cegueira noturna”, que quando não é tratada, pode causar danos permanentes à córnea e levar a cegueira permanente.

Outros problemas são aumento da gravidade de infecções no sistema gastrointestinal, sistema urinário e sistema respiratório. Também pode ocorrer o endurecimento das mucosas do trato respiratório, redução do olfato e paladar, ressecamento do globo ocular e da córnea e inflamação da pele.

Quais são os benefícios da vitamina A em doses adequadas?

A vitamina A pode ser encontrada em duas apresentações. Os alimentos de origem animal fornecem vitamina A na forma de retinóides, e os alimentos de origem vegetal fornecem vitamina A como carotenoides.

As duas apresentações agem de maneiras diferentes do organismo, mas ambas fornecem inúmeros benefícios, quando a vitamina A é consumida de maneira adequada:

  • Saúde dos olhos: A vitamina A protege a córnea, área do globo ocular que concentra e distribui a luz que entra no olho. A baixa ingestão de vitamina A pode fazer com que a pessoa tenha dificuldade de enxergar em locais com baixa luminosidade. Além disso, podem ocorrer alterações oculares e cegueira total em casos mais sérios.
  • Benefícios para a pele: A vitamina A é fundamental para manter a integridade e bom funcionamento das células da pele e das mucosas. O nutriente também ajuda na reparação do epitélio da pele.
  • Benefícios para as crianças: A vitamina A proporciona benefícios para as crianças, pois contribui para o crescimento de duas maneiras: É essencial para a divisão celular e para a formação do hormônio do crescimento.
  • Prevenção de doenças: A vitamina A mantém a integridade das células da mucosa que revestem as vias respiratórias, o aparelho digestivo e o trato urinário e atuam como uma barreira do corpo contra infecções. Além disso, essa substância estimula o desenvolvimento e diferenciação das células brancas (linfócitos), que são muito importantes para o sistema imunológico.
  • Ação antioxidante: Outro benefício da vitamina A é o efeito antioxidante e combate à ação dos radicais livres que possuem efeitos nocivos nas células e causam inúmeras doenças.

Quando o uso de suplemento de vitamina A é indicado?

O uso de suplemento de vitamina A é indicado somente quando há um quadro clínico de hipovitaminose, ou seja, deficiência de vitamina A, detectado através de exames de sangue.

Quem possui uma alimentação inadequada também pode precisar de suplementação para ingerir a quantidade adequada de nutrientes – nesse caso, pode ser recomendado o consumo de um suplemento polivitamínico.

É importante ressaltar que não é preciso ingerir suplemento vitamínico quando a alimentação é balanceada. Mas mulheres grávidas e crianças com idades entre seis e onze meses podem precisar do suplemento de vitamina A. Independente da sua situação, procure orientação médica antes de iniciar o tratamento.

Imagem de uma mulher tomando um comprimido.
A suplementação de vitamina A deve ser orientada por um médico nutricionista ou nutrólogo, após a realização de exames de sangue. (Fonte: Antonio Guilem/ 123RF.com)

Qual a dose diária recomendada de vitamina A?

A dose diária recomendada de vitamina A varia de acordo com o gênero, idade e condição de saúde do indivíduo. Pensando nisso, preparamos uma tabela com a dose diária recomendada de vitamina A:

Gênero masculinoGênero feminino
Recém-nascidos de 0 a 6 meses400mcg400mcg
Bebês de 7 a 12 meses500mcg500mcg
Crianças de 1 a 3 anos300mcg300mcg
Crianças de 4 a 8 anos400mcg400mcg
Crianças de 9 a 13 anos600mcg600mcg
Adolescentes de 14 a 18 anos900mcg700mcg
Adultos acima de 18 anos900mcg700mcg
Grávida menor de 18 anos750mcg
Grávida maior de 18 anos 770mcg
Lactante menor de 18 anos1200mcg
Lactante maior de 18 anos1300mcg

Conclusão

Todo mundo sabe que as vitaminas são fundamentais para o bom funcionamento do organismo. O que muitas pessoas não sabem é que não apenas a falta, como o consumo excessivo dessas substâncias, pode trazer riscos para a saúde.

Neste artigo, você descobriu quais são os sintomas do excesso de vitamina A, como diagnosticar e tratar a Hipervitaminose ou intoxicação por vitamina A, quais são os males decorrentes dessa doença, entre outros aspectos.

(Fonte da imagem destacada: Stevepb/ Pixabay.com)

References (3)

1. El Beitune, Patrícia; Duarte, Geralo; Quintana, Silvana Maria. Hipervitaminose A: algumas considerações. J. bras. med ; 86(3): 29-30, mar. 2004.
Source

2. OLIVEIRA. Shirlayne Carla Alves de, PONCIANO, Carolina da Silva, Araújo, GERMANO D., Mayara Gabrielly, PONTES, Edson Douglas Silva, MOURA, Renally de Lima, OLIVEIRA, Natália Dantas de, SILVA, Elisiane Beatriz da, DANTAS, Emelly Naiara Dos Anjos, SILVA, Camila Pacheco da, SOUSA, José Thiago Alves de, SILVA, Suedna da Costa. As Consequências da Toxicidade da Vitamina a no Organismo – uma Revisão da Literatura. Rio de Janeiro, Brasil, 2018.
Source

3. Adequação na ingestão de vitamina a por gestantes, segundo as Dietary Reference Intakes. Tuma, Maria Angela Figueiredo; Roncada, Maria José; César, Thais Borges. CuidArte, Enferm ; 8(1): 9-15, jan.-jun.2014.
Source

Artigo científico
El Beitune, Patrícia; Duarte, Geralo; Quintana, Silvana Maria. Hipervitaminose A: algumas considerações. J. bras. med ; 86(3): 29-30, mar. 2004.
Go to source
Artigo científico
OLIVEIRA. Shirlayne Carla Alves de, PONCIANO, Carolina da Silva, Araújo, GERMANO D., Mayara Gabrielly, PONTES, Edson Douglas Silva, MOURA, Renally de Lima, OLIVEIRA, Natália Dantas de, SILVA, Elisiane Beatriz da, DANTAS, Emelly Naiara Dos Anjos, SILVA, Camila Pacheco da, SOUSA, José Thiago Alves de, SILVA, Suedna da Costa. As Consequências da Toxicidade da Vitamina a no Organismo – uma Revisão da Literatura. Rio de Janeiro, Brasil, 2018.
Go to source
Artigo científico
Adequação na ingestão de vitamina a por gestantes, segundo as Dietary Reference Intakes. Tuma, Maria Angela Figueiredo; Roncada, Maria José; César, Thais Borges. CuidArte, Enferm ; 8(1): 9-15, jan.-jun.2014.
Go to source