Como tomar vitamina D?

Duas pessoas pulando com por do sol no fundo.

Entre todas as vitaminas que são essenciais para a saúde do nosso corpo, a vitamina D é, provavelmente, a mais conhecida. Mas o que nem todo mundo sabe é como tomar a vitamina D de forma adequada.

Nesse quesito, tanto a dose quanto o tipo de suplemento devem ser considerados, não apenas para garantir os benefícios, mas para evitar efeitos negativos.

No caso dos suplementos, o destaque do momento é o lipossomal da Sundt, que acelera a absorção da vitamina dentro do corpo.

Pontos-chave

  • A vitamina D é essencial para a nossa saúde, mas em excesso pode causar doenças graves.
  • Para saber como tomar a vitamina D é preciso ter o aconselhamento médico.
  • O suplemento lipossomal é o mais indicado para manter os níveis adequados ou em caso de deficiência.

Como tomar vitamina D: Tudo o que você precisa saber

A vitamina D é um nutriente que pode ser obtido através de alguns alimentos, mas que precisa de uma ajuda externa para ser ativada em nosso organismo. Nesse caso, o melhor ajudante é o sol.

No entanto, somente 10 a 20% da vitamina D vem da alimentação. Isso porque não são muitos os alimentos que oferecem esse nutriente e os que oferecem possuem baixa concentração da vitamina.

Confira os valores e porcentagens de vitamina D presente em alguns alimentos:

Alimentos ricos em vitamina DPorcentagem
1 colher (sopa) de óleo de fígado de bacalhau227% da quantidade diária recomendada
85g de salmão cozido75% da quantidade diária recomendada.
85g de atum enlatado26% da quantidade diária recomendada
85g de fígado de boi cozido7% da quantidade diária recomendada
1 ovo grande7% da quantidade diária recomendada.

Já os 80 a 90% restantes de vitamina D que não são consumidos através da alimentação precisam ser sintetizadas pelo próprio organismo.

Para que isso ocorra, é necessário que nossa pele seja exposta ao sol todos os dias, de forma adequada. Ter o fígado e os rins em pleno funcionamento também é importante, já que são esses os órgãos que processam e ativam a vitamina D.

Mas com tomar sol nem sempre é possível, principalmente com a rotina estressante dos centros urbanos, não raro a suplementação de vitamina D é recomendada.

Mulher deitada na grama tomando sol.
O sol na pele sintetiza a vitamina D no corpo. (Fonte: silviarita/ Pixabay.com)

A reposição da vitamina D, quando necessária, é feita diária, semanal ou mensalmente com suplementos em gotas, cápsulas ou injetáveis.

Mas você não deve consumir essa vitamina por conta própria. É preciso saber como tomar a vitamina D, porque tanto o excesso quanto a falta desse nutriente em nosso organismo pode causar prejuízos à saúde.

Para não errar na hora de tomar a vitamina D, recomendamos que você siga esses dois passos essenciais:

  • Busque avaliação e acompanhamento médico para definir a necessidade de suplementação, a dose ideal e o período de tratamento;
  • Escolha o suplemento de vitamina D lipossomal, que facilita e agiliza a entrada do nutriente no organismo.

Por que você deve tomar vitamina D?

O fato de o Brasil ser um país tropical e com muito sol dá a falsa sensação de que estamos expostos à luz solar de maneira adequada e suficiente.

Mas a verdade é que, por conta da rotina, principalmente de quem trabalha em escritórios e locais fechados, o brasileiro se expõe pouco ao sol.

Outro ponto a ser destacado é que, por conta dos cuidados com a pele para evitar doenças e até o câncer, o uso de protetor solar em excesso também impede a absorção adequada dos raios solares.

Homem sentado na janela.
Ficar muito tempo em locais fechados, pode causar a deficiência de vitamina D. (Fonte: Pexels/ Pixabay.com)

Esses dois fatores já são o bastante para que tenhamos deficiência de vitamina D. Mas também é preciso considerar que algumas pessoas nascem com polimorfismo genético, que pode causar a carência de vitamina D.

Em qualquer um desses casos, a falta do nutriente irá prejudicar a saúde, podendo até provocar doenças graves.

Para remediar, é preciso tomar vitamina D, seja através de suplementos, seja aumentando a exposição da pele ao sol. Confira abaixo as razões pelas quais você deve tomar vitamina D:

  • É bom para o coração;
  • Fortalece dentes e ossos;
  • Previne a osteoporose em adultos e o raquitismo em crianças;
  • Regula a presença de cálcio e ferro no sangue;
  • Atua no combate a doenças autoimunes;
  • Auxilia na prevenção da depressão.

Quando você deve tomar vitamina D?

De acordo com o endocrinologista do Hospital Sírio-Libanês, José Antonio Miguel Marcondes a reposição da vitamina D é indicada para:

  • Pessoas com mais de 65 anos de idade;
  • Crianças com raquitismo ou que raramente se expõem ao sol;
  • Indivíduos com osteoporose;
  • Pessoas com baixa quantidade da vitamina D no organismo, independentemente da idade.

Para saber qual a quantidade de vitamina D no seu corpo é preciso realizar um exame de sangue. E apenas um médico poderá fazer o pedido do exame e avaliar com precisão o resultado.

De todo modo, de acordo com a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) a quantidade mínima de vitamina D necessária no nosso corpo é de 20 ng/mL.

Ou seja, se o seu exame indicar que você tem menos do que 20 ng/mL de vitamina D, isso significa que você está com deficiência nutricional. Veja a seguir todos os valores de referências para a vitamina D:

  • Menor do que 10 ng/mL: Insuficiência grave;
  • Entre 10 e 20 ng/mL: Insuficiência;
  • Acima de 20 ng/mL: Normal;
  • Entre 30 e 60 ng/mL: Recomendado para grupos de risco como idosos, gestantes, pacientes com osteomalácia, raquitismos, osteoporose, doenças inflamatórias, autoimunes e renal crônica;
  • Acima de 100 ng/ml: Hipervitaminose.

Como tomar vitamina D e evitar a deficiência e o excesso?

Tanto a insuficiência quanto o excesso de vitamina D fazem mal a saúde. Com uma deficiência leve dessa vitamina, por exemplo, podem ocorrer perda de massa óssea, osteoporose, fraturas, entre outros problemas.

Já quando a insuficiência de vitamina D é alta, os riscos são ainda maiores podendo levar a um defeito na mineralização óssea e ao raquitismo.

Além disso, a deficiência de vitamina D também está associada a um risco maior da ocorrência de várias doenças crônicas, como as cardiovasculares, as imunológicas, infecciosas e os tumores.

Abaixo, listamos alguns sintomas que surgem quando a vitamina D está em níveis baixos:

  • Espasmos musculares;
  • Sensação de cansaço ou mal-estar;
  • Dor nos ossos e nos músculos;
  • Osteoporose em adultos;
  • Fraqueza nos ossos.

Assim como a falta de vitamina D provoca sintomas, também a superdosagem, ou hipervitaminose, é prejudicial à saúde.

Em excesso, a vitamina D pode provocar a hipercalcemia, que é quando a taxa de cálcio no sangue está acima da considerada normal. E isso pode causar:

  • Fadiga;
  • Fraqueza muscular;
  • Náuseas;
  • Anorexia;
  • Desidratação;
  • Perda óssea e da função renal.

De que forma é possível repor a vitamina D no organismo?

Existem dois tipos desse nutriente: A vitamina D2 e a vitamina D3. A vitamina D3 é de origem animal e é sintetizada na pele a partir do colesterol, após a exposição ao sol. Já a vitamina D2 é de origem vegetal.

Mas, como vimos, os alimentos não são as melhores formas de repor a vitamina D, afinal esse nutriente se apresenta em baixa concentração em alguns poucos produtos alimentícios.

O ideal para manter os bons níveis de vitamina D no organismo é aumentar a exposição aos raios solares. Para isso, é preciso tomar sol de 15 a 20 minutos todos os dias. Se você tem pele negra, aumente esse período para 45 minutos a 1 hora.

Mulher tomando cápsula.
O suplemento lipossomal aumenta a biodisponibilidade da vitamina D. (Fonte: Valerii Honcharuk / 123rf.com)

Mas se você tem um rotina que impede que você tome banhos de sol com frequência, a melhor forma de tomar vitamina D é através de suplementos.

É também nessa hora que surge a dúvida: Como escolher o melhor suplemento para tomar vitamina D? Para fazer essa escolha, é preciso analisar a fórmula e a técnica usada na produção do suplemento.

Isso porque a maioria dos suplementos não facilitam o processo de digestão e absorção do nutriente.

Por isso, a Sundt adotou o método lipossomal, no qual a vitamina chega à corrente sanguínea de forma mais ágil. Falaremos em detalhes sobre esse suplemento logo mais.

Como tomar vitamina D na dose certa?

Para manter a concentração de, pelo menos, 20ng/mL de vitamina D no sangue, e evitar a hipervitaminose, a única forma é contar com a orientação do seu médico e avaliar suas taxas nutricionais.

Ainda assim, de modo geral, uma dose segura de vitamina D para adultos e idosos pode variar entre 600 a 1000 ui por dia ou semana.

Lembrando que é preciso considerar as necessidades individuais e a faixa etária também.

Qual o melhor horário para tomar vitamina D?

O melhor horário para tomar a vitamina D através dos alimentos e suplementos é no momento da maior refeição como, por exemplo, o almoço ou o jantar.

Essas refeições ajudam a aumentar a biodisponibilidade da vitamina D no organismo. Isso acontece porque a vitamina D é do tipo lipossolúvel, ou seja, ela é melhor absorvida na presença de gorduras.

Por isso, sempre inclua, com moderação, uma fonte de gordura boa à sua dieta como azeite de oliva, abacate, castanhas e nozes. Dessa forma, o nutriente surtirá efeito mais rapidamente.

Por que o suplemento lipossomal de vitamina D é melhor?

Os suplementos alimentares nem sempre garantem a total absorção do nutriente pelo corpo.

No caso da vitamina D, ela precisa ultrapassar a camada protetora da cápsula do suplemento para ser digerida pelo intestino. Em seguida deverá ser sintetizada e processada no fígado e nos rins para, só então, ser absorvida pelo organismo.

Para encurtar esse processo e acelerar a chegada da vitamina D na corrente sanguínea, a Sundt adotou um método no qual o nutriente é envolvido por camadas de lipossomas.

Cápsula de suplemento.
O suplemento lipossomal da Sundt acelera a absorção da vitamina D. (Fonte: Michele Blackwell/ Unsplash.com)

Com essa camada, o suplemento lipossomal é melhor digerido no intestino e o princípio ativo da vitamina D chega mais rapidamente à corrente sanguínea.

Ou seja, o suplemento lipossomal não apenas facilita a digestão do nutriente pelo intestino, mas aumenta a biodisponibilidade da vitamina D.

Com isso, a eficiência da suplementação é maior, e você ainda evita a ingestão de muitas cápsulas, o que pode ser prejudicial para a saúde do seu estômago.

Conclusão

A vitamina D é um nutriente essencial para o nosso organismo. Mas tanto em níveis baixos quanto em níveis muito altos, ela pode causar sérios prejuízos à nossa saúde. Por isso, é fundamental saber como tomar a vitamina D.

Se a única opção for repor esse nutriente com suplementos, recomendamos que escolha o lipossomal da Sundt. Esse suplemento de vitamina D aumenta e acelera a absorção do nutriente dentro do corpo.

References (5)

1. Quando devemos fazer reposição de vitamina D? - Hospital Sírio-Libanês
Source

2. Intoxicação por vitamina D: relato de caso - Hospital Israelita Albert Einstein
Source

3. Valores de referência para vitamina D - Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial
Source

4. Vitamina D: Novos Valores de Referência - Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Source

5. Superdosagem de Vitamina D traz sérios riscos para a saúde - Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Source

Artigo
Quando devemos fazer reposição de vitamina D? - Hospital Sírio-Libanês
Go to source
Artigo
Intoxicação por vitamina D: relato de caso - Hospital Israelita Albert Einstein
Go to source
Artigo
Valores de referência para vitamina D - Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial
Go to source
Artigo
Vitamina D: Novos Valores de Referência - Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Go to source
Artigo
Superdosagem de Vitamina D traz sérios riscos para a saúde - Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Go to source